“Sem chance”, diz Chris Duran sobre gravar músicas românticas

Enquanto representantes do gospel pensam na carreira secular, o cantor Chris Duran – sucesso da música internacional no fim dos anos 90 – não pretende largar seu chamado ministerial e rejeita até gravar músicas românticas.

Seu posicionamento pode ser considerado radical e ele sabe disso, mas tem a convicção de que não deve aceitar voltar para a vida que abandonou em 2001 quando estava no auge do sucesso.

“Não gravaria em hipótese alguma uma música romântica, sem chance. A finalidade dos homens não é trabalhar para si. É viver e trabalhar para Deus. Não se deve usar o dom recebido para ser bajulado”, disse ele ao EGO.

Chris Duran critica atitudes de pessoas como Baby do Brasil, Sula Miranda e Rosanah que voltaram a cantar canções não religiosas. “Acho um absurdo certos cantores continuarem a cantar música secular. Jesus disse que numa fonte não jorra água doce e salgada. Posso até aparecer em programas seculares, mas firmando minha postura. O correto é fazer tudo para Deus”.

O cantor francês tem posicionamentos definidos e até se coloca contrário a gravar com cantores de outras religiões. “Não creio no ecumenismo. Segundo a Bíblia, nem todos os caminhos levam a Deus”, disse ele sobre cantar com padres.

Fazer dueto com grandes artistas evangélicos que vivem de aparência também não está nos planos do cantor. “Também não faria duetos com alguns evangélicos que não vivem de fato a palavra. Já vieram me procurar, mas não me interessei, por mais famoso que fosse. Não entrei no ramo gospel atrás de fama”, garante.

Chris Duran tem sete discos evangélicos gravados e viaja o país todo não apenas divulgando suas canções, mas também ministrando a Palavra e anunciando a volta de Cristo. Casado com Poliane, com que tem uma filha, Esther, o religioso não tem medo de dizer que como cantor romântico ganhava muito mais dinheiro do que nos dias atuais.

“Os ganhos daquela época não se comparam aos atuais, mas o prazer compensa. Eu quis uma mudança real de vida, não apenas trocar de estilo musical”, disse.

A conversão de Chris Duran aconteceu após um acidente que o fez ficar em uma cadeira de rodas por alguns meses. A fé foi a cura do vazio emocional que o levou à depressão e que para ele é a razão para que muitos artistas percam suas vidas.

“O mundo em que eles vivem não é real, há muita bajulação. Eu vivia cercado por pessoas que não me completavam. Amy Winehouse, Whitney Houston… Por que tiveram um fim tão drástico mesmo com tanto sucesso? Porque ali havia um vazio. Procurei a palavra para suprir minha vida”, relata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

[ajax_load_more post_type="post" sticky_posts="true" button_label="Mais posts"]