Gospel Plus

Confira o terceiro episódio do faixa a faixa com Eli Soares

No terceiro e último episódio do “Faixa a Faixa” divulgado pela Universal Music Christian Group, o cantor Eli Soares conta peculiaridades sobre as últimas canções que integram o recém-lançado CD/DVD “Luz do Mundo”.

O cantor mineiro fala da importância dos conselhos dos seus pais, referindo-se à canção inédita “O melhor lugar do mundo”, na qual Eli Soares se inspirou em frases que sua mãe sempre dizia e marcaram sua infância e juventude, como “O que vale a vida sem Deus?”; “De que vale ganhar o mundo inteiro e perder a própria alma?”. O cantor revela que interpretar essa canção no DVD foi muito especial para ele: “Não há melhor lugar para se estar do que no centro da vontade de Deus”, afirma o cantor.

Em seguida, Eli Soares comenta sobre a canção “Mais que o mundo”, composta especialmente para a sua esposa Késia Soares. Com carinho, o cantor falou da participação especial da amada na gravação do DVD: “Com a graça de Deus, daremos início à carreira solo da Késia. Eu sou suspeito para falar, mas a minha esposa canta muito e ela arrasou no DVD! Cantou demais, lindamente! Fazer esse dueto com ela foi muito especial, porque os sonhos dela também são importantes para mim”.

O “Faixa a Faixa” ainda destaca as canções “Morada”, “Me deixa te sentir” e “Graça”, esta última produzida em parceria com o amigo Daniel Moreira.

Eli Soares fecha o episódio falando da canção “Tudo que eu sou”, que encerra o DVD “Luz do Mundo”. O cantor explica o porquê da escolha dessa música para fechar o show: “Das minhas músicas rápidas é a que eu mais gosto e a que o público também se identifica muito. Quis deixá-la por último para dar aquele gás final”.

Eli Soares deixa um agradecimento especial a todos: “Espero que vocês tenham gostado da história de cada canção. Que esse CD/DVD abençoe muito as suas vidas, que seja bênção para as suas casas e famílias. E que a presença de Deus os acompanhem onde vocês o assistirem.”

Confira o terceiro episódio do “Faixa a Faixa” com Eli Soares:

 

Gospel Plus

Árabe israelense, que queria ser recruta do ISIS, é condenado em Jerusalém

Jerusalém (TPS) – Um jovem árabe israelense que tentou juntar-se à organização terrorista Estado Islâmico foi condenado a uma pena de prisão de quinze meses, nesta terça-feira, 19/4. Fares Saritah, 19 anos, residente do bairro Kfar Akeb de Jerusalém, se declarou culpado das acusações de “tentativa de ingressar em uma organização ilegal e tentativa de desertar para um Estado inimigo”, referindo-se ao Estado Islâmico na Síria e no Iraque (ISIS) e à Síria como Estado inimigo.

“Com base na própria confissão e admissão plena do acusado eu o encontro culpado de tentativa de ingressar em uma organização ilegal”, disse o juiz Aharon Farkash em sua sentença. A investigação conjunta, realizada pela Agência de Segurança de Israel (ISA) e pela polícia israelense, revelou que Saritah supostamente convenceu seus dois irmãos a também se juntarem ao Estado Islâmico. Um deles conseguiu sair de Israel e juntar-se ao grupo terrorista na Síria.

De acordo com a nota de acusação, em abril de 2015 Saritah deixou Israel com seu irmão e primo e chegaram a Istambul planejando chegar à Síria através da Turquia, um caminho comum para os muçulmanos radicalizados que tentam juntar-se ao Estado islâmico. No entanto Saritah nunca passou do aeroporto de Istambul, porque seu passaporte estava vencido. Ele então teve que embarcar para Israel para regularizar seus papéis onde, na chegada, foi pego pela Agência de Segurança de Israel (ISA).

Fonte: TPS / Texto: Michael Zeff / Tradução: Alessandra Franco / Foto: Hillel Maeir

Gospel Plus

Terroristas indignados com Twitter por fechar contas do Hamas

O Twitter encerrou outra conta usada pela organização terrorista Hamas na sexta-feira, 15/4, provocando indignação e condenação do braço militar do Hamas, as Brigadas Izz al-Din al-Qassam. A conta pertencia ao porta-voz da ala militar, Abu Ubaida, que abriu a conta atual após o encerramento das contas em língua árabe, inglês e hebraico das brigadas Al-Qassam, em fevereiro. “O Twitter escolheu ficar com a ocupação, que refuta suas alegações de honestidade e imparcialidade”, afirmou Abu Ubaida no sábado, 16/4.

“Condenamos o uso do Twitter para promover o terrorismo e as regras do Twitter deixam claro que este tipo de comportamento, ou qualquer ameaça violenta, não são permitidos em nosso serviço”, o Twitter declarou em fevereiro. O Twitter já havia encerrado, em março, as contas Al-Qassam em árabe e inglês, após “pressão exercida por grupos sionistas”, disse o ex-gerente da conta Al-Qassam em um comunicado no site do grupo terrorista.

Os movimentos contra o Hamas vêm em meio à campanha em curso no Twitter contra a propagação do extremismo islâmico, durante a qual cerca de 125 mil contas vinculadas aos terroristas foram suspensas desde meados de 2015, declarou o Twitter em seu site.

O Hamas e seu braço militar são ambos designados como grupos terroristas ilegais por Israel, União Europeia e Estados Unidos.

Fonte: TPS / Texto: Michael Zeff / Tradução: Hannah Franco / Foto: Ehud Amiton

Gospel Plus

Chefe da polícia fala sobre instabilidade no Monte do Templo

O comissário-chefe da polícia de Israel, Roni Alsheikh, enviou uma carta incomum, redigida com termos vigorosos, no domingo (17/4), ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu alertando para o perigo de visitas provocativas ao Monte do Templo pelos políticos antes de Pessach, a Páscoa judaica. “A chegada de membros do Knesset (parlamento israelense) e políticos no Monte do Templo pode levar a um agravamento da tensão e uma escalada de ocorrências de uma forma que irá constituir um perigo real para a segurança nacional”, escreveu Alsheikh em sua carta.

Segundo a carta, que foi tornada pública no noticiário da noite no Canal 2 israelense, o aviso do chefe da polícia vem à luz das “tentativas de provocação feitas por extremistas de ambos os lados antes dos próximos feriados”, referindo-se ao feriado judaico de Pessach e à Páscoa cristã ortodoxa. “Eu decidi continuar barrando os membros do Knesset de subir ao Monte do Templo até novo aviso”, acrescentou.

Em outubro 2015 a polícia de Israel decretou uma proibição estrita de membros judeus e árabes do Knesset de entrar no complexo do Monte do Templo. A proibição foi após o forte aumento nos ataques terroristas palestinos que começaram na véspera de Rosh Hashaná, o ano novo judaico, e que tanto Israel quanto os palestinos têm relacionado às tensões no local santo.

“Nós sempre observamos um aumento na incitação palestina e terrorismo em todo feriado judaico importante”, disse Menachem Landau, ex-diretor da Agência de Segurança de Israel (ISA) ao serviço de imprensa Tazpit (TPS). “Especialmente antes de Rosh Hashaná e Pessach, uma vez que estes são os feriados quando os judeus religiosos desejam ir ao Monte do Templo”.

Fonte: TPS / Texto: Michael Zeff / Tradução: Hannah Franco / Foto: Eitan Elhadez

Gospel Plus

Suposto “espião cibernético do Mossad” é revelado pela mídia romena

A imprensa romena publicou na semana passada fotos de dois cidadãos israelenses presos pela polícia romena, sob a alegação de espionagem e outros crimes. Os dois homens, Ron Weiner e David Geclowicz, são funcionários da empresa privada israelense de inteligência cibernética, Black Cube. Eles foram presos no dia 6 de abril, acusados de espionagem e crime cibernético.

“Os suspeitos estabeleceram uma rede organizada para a realização de graves crimes, incluindo crimes cibernéticos, tentativas de roubo de informações, invasão de emails e intimidação”, afirmaram as autoridades romenas. Vários meios de comunicação romenos afirmaram também que os dois israelenses são ex-agentes do Mossad, embora estas alegações não tenham sido corroboradas por qualquer fonte confiável.

Os funcionários da Black Cube supostamente espionaram a procuradora-geral, Laura Codruța Kövesi, do Diretório Nacio­nal Anticorrupção da Romênia e aproximadamente 20 indivíduos ligados a ela, incluindo parentes e amigos. Kövesi é conhecida pela sua abordagem dura em relação à corrupção política e foi nomeada para um segundo mandato em março. A equipe de Kövesi processou mais de mil casos de corrupção de alto nível em 2015, alguns dos quais revelaram o envolvimento de empresários israelenses e figuras públicas em esquemas de corrupção na Romênia.

A Black Cube confirmou que os dois israelenses estavam trabalhando na Romênia, e afirmou que “a empresa tem trabalhado com agências governamentais oficiais da Romênia nas últimas semanas para reunir evidências de corrupção grave no sistema de governo romeno. Como parte do projeto, dois dos funcionários da empresa, que chegaram a conquistas significativas, foram presos. Os funcionários trabalhavam em conformidade com as leis locais, e as acusações contra eles são falsas. Estamos confiantes de que a verdade vai surgir nos próximos dias, e eles serão liberados”.

A Black Cube é uma das empresas privadas mais bem-sucedidas de Israel no campo de inteligência cibernética, tendo empresas e contratos abrangendo desde Paquistão até o Reino Unido. A empresa emprega muitos veteranos do corpo de inteligência da IDF (Forças de Defesa de Israel) e da comunidade de inteligência nacional, e mantém uma lista de clientes extremamente secreta.

“Andamos sobre uma linha muito fina, e às vezes cruzamos esta linha por engano. Acontece na vida e no mundo de inteligência”, disse o professor Asher Tishler, membro do Conselho de administração da Black Cube em uma entrevista ao The Financial Times em março.

Em outro artigo sobre a empresa privada de inteligência, no jornal israelense Yedioth Haharonoth, um cliente não identificado da Black Cube é citado com o dizer: “a ideia por trás desta empresa é que todos no mundo dos negócios têm segredos ou memórias constrangedoras de que prefere não falar, e a Black Cube sabe como chegar a estes segredos”.

Fonte: TPS / Texto: Michael Zeff / Tradução: Bruno Scala / Foto: IDF

Gospel Plus

O aplicativo israelense que permite eliminar filas vai para os EUA

Tel Aviv (TPS) – A agonia de esperar em longas filas em um restaurante é universal, mas aparentemente os israelenses, que não são conhecidos por ter excepcional paciência, parecem ter descoberto uma forma de eliminar a espera. E para Israel a solução é um aplicativo.

Skeeper, o aplicativo que ajuda você a eliminar a fila, mas guarda o seu lugar, foi co-fundado pelo CEO, Alon Schwartzman, há dois anos, de maneira a eliminar o tempo de espera e limitar o número de desistências, beneficiando tanto os clientes quanto os restaurantes. E agora esta solução está sendo levada para os EUA.

Os milhares de usuários do Skeeper podem simplesmente dar seu nome e número e receber uma mensagem de texto automática indicando quando a sua vez se aproxima. Isso permite que os usuários façam compras, encontrem-se com amigos, reapliquem o batom antes do encontro, ou literalmente façam qualquer coisa que não seja se preocupar em perder o seu lugar na fila.

Essa solução não é só para restaurantes. O Skeeper também está sendo usado por outras empresas que sofrem com seus gargalos de reserva, como por exemplo os salões de beleza.

Schwartzman, que cresceu em Tel Aviv e trabalhou em uma empresa de alta tecnologia no vale do Silício por vários anos, disse ao serviço de imprensa Tazpit (TPS) que aproximadamente 100 mil pessoas já baixaram o aplicativo em Israel, que é gratuito para o usuário. O Skeeper obtém suas receitas de taxas de assinatura de restaurantes, buscando melhorar o serviço e garantir o retorno e satisfação dos clientes.

“Trabalhamos com grandes e pequenos restaurantes que são famosos por suas longas listas de espera, como ‘Benedict’ e dezenas de outros. Os gerentes sabem que a espera é basicamente uma experiência ruim e irritante. Ninguém quer perder tempo na fila. A última coisa que se quer, é que os clientes fiquem frustrados”, disse Schwartzman.

Além disso, inúmeras horas de trabalho têm sido poupadas com o uso do app por mais de 2 milhões de acessos dos clientes, de acordo com análises fornecidas pelo aplicativo. E os números estão crescendo ainda mais.

“Nós também reduzimos as desistências”, disse Schwartzman, referindo-se aos clientes que desistem antes da refeição. “Se há uma longa fila de espera, muitos clientes ficam cansados e decidem ir embora. Porém, com o nosso app há diminuição de 50% das desistências”.

Com tanto sucesso em Israel, Schwartzman planeja lançar Skeeper nos Estados Unidos ainda este ano.

Fonte: TPS / Texto: Alexander J. Apfel/ Tradução: Bruno Scala / Foto: IDF

Gospel Plus

Ataques cibernéticos a Israel do ‘Anonymous’ são mais promocionais que prejudiciais, dizem especialistas em ciberdefesa

Os ciberataques lançados pelo grupo hacker anti-Israel ‘Anonymous’ estão mais para propaganda exagerada do que ações prejudiciais, de acordo com especialistas israelenses em segurança cibernética, que afirmam que a cobertura da mídia tem o objetivo apenas de fomentar medo desnecessário e fora de sincronia com a realidade da ameaça.

Anonymous, um grupo de hackers organizado de forma amadora, que tem como alvos atacar desde o PayPal até o ISIS, tem tentado anualmente, desde 2013, invadir sites israelenses no dia 7 de abril, quando lançou sua campanha contra Israel no Dia de Lembrança do Holocausto no país, conhecido como Yom Hashoah. Este ano, o grupo ameaçou realizar ataques cibernéticos em escritórios do governo e divulgar dados pessoais de cidadãos israelenses em uma operação apelidada de “Operação Israel”.

Embora até agora tenha havido apenas pequenos vazamentos de informações de cartão de crédito de israelenses, obtidos de sites mal protegidos. Especialistas afirmam que o grupo hacker Anonymous tem provado ser uma organização relativamente amadora, incapaz de violar sistemas israelenses, que são altamente protegidos.

Em uma entrevista ao serviço de imprensa Tazpit (TPS), Jonathan Glinger, um advogado de direito cibernético, descartou a ameaça como histeria injustificada.

“Todo ano vemos a mesma coisa”, disse Glinger. “O Anonymous tem uma lista de sites que diz ter apagado ou que está atacando, mas quando você passa por todos eles, você percebe que alguns podem ter tido seu funcionamento interrompido temporariamente, mas que voltaram a funcionar muito rapidamente”.

De acordo com Glinger, a extensão das ameaças cibernéticas contra Israel não aumenta particularmente em 7 de abril. “Eu não estou dizendo que não há necessidade de ser vigilante. É necessário ser vigilante durante o ano todo. Ser vigilante apenas um dia, no entanto, não é suficiente”, ele disse à TPS.

A principal estratégia do Anonymous é gerar artificialmente tráfego para websites, de maneira a sobrecarregá-lo até ele cair, explicou Nitsan Sabdan, do Centro de Estudos para Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança em Computadores de Israel (IL-CERT) em uma entrevista à TPS. IL-CERT é o centro de comando civil de Israel para segurança cibernética.

Esta tática hacker, conhecida como “ataque distribuído por negação de serviço” (DDoS), é relativamente básica e mal pode ser considerada uma ameaça, disse Sabdan.

“Normalmente, o que vemos é uma grande quantidade de atacantes de baixo nível que também usam ferramentas de baixo nível. A maioria de seus participantes não são muito hábeis em delito cibernético, já que sua ênfase é na quantidade e não na qualidade. Por isso, eles permanecem mal qualificados. Até agora não houve nenhum dano considerável para qualquer site ou serviço israelense”.

Sabdan falou com desprezo a respeito das atividades do Anonymous ridicularizando suas habilidades em divulgar endereços de email desatualizados e a escassez de mecanismos avançados à disposição deles.

“Eles afirmam ter muitos dados e ferramentas, no entanto os verificamos com frequência e não encontramos nada de novo, ameaçador ou perigoso. Suas ações neste último 07 de abril foram simplesmente uma outra ‘Operação Israel’. Este ano terminará provavelmente em mais um fracasso para eles, assim como ocorreu em anos anteriores”, previu Sabdan.

Além da fragilidade em perícia do Anonymous, Sabdan mencionou a formidável infraestrutura de proteção de Israel contra ameaças cibernéticas.

“A forte infraestrutura de Israel é muito avançada. Nosso centro de operações, IL-CERT, é composto pelos melhores especialistas em segurança cibernética de Israel. A base de conhecimento é enorme e os invasores não possuem táticas suficientes, e assim podemos reduzir seus ataques”.

Enquanto Sabdan admitiu que ‘o dia ainda não terminou’ e que a possibilidade de surpresas não pode ser negligenciada, ele concluiu que pouco dano seria causado, e concordou com Glinger sobre o barulho desproporcional promovido pelos meios de comunicação a respeito do assunto.

“Há uma grande diferença entre os exageros da mídia e a realidade. O Anonymous também tenta fazer um estardalhaço a respeito de suas atividades com objetivo de atrair mais atacantes cibernéticos”. 

Fonte: TPS / Texto: Alexander J. Apfel / Tradução: Bruno Scala / Foto: IDF

Gospel Plus

DJ Matheus Lazaretti fala da apresentação no sertão baiano

Com apenas 18 anos de idade e muito carisma, Matheus Lazaretti já tem uma intensa agenda de shows e grandes projetos. Em sua primeira apresentação no sertão baiano, de 15 a 22 de janeiro deste ano, o DJ também teve uma calorosa recepção.

Matheus conta que em uma cidade com 2.000 habitantes, apenas 45 pessoas eram cristãs. Em uma noite da caravana, na cidade de Igarité (BA), cerca de 700 pessoas se reuniram e mais de 400 aceitaram Jesus! Ele diz que isso é o mais importante em todo o seu trabalho: “Entendo que ser um canal de Deus para conduzir as pessoas a Jesus, para que tenham um real encontro com Ele é o verdadeiro sentido do meu trabalho, do dom que Deus me deu. O fazer por fazer é uma obra sem muito sentido. Agradeço ao Senhor e peço a Ele que me conduza sempre por sua perfeita vontade. Quero ser um exemplo cristão para os jovens.”

Matheus Lazaretti conta que os dias de ministração no sertão baiano foram um tempo de grande aprendizado, crescimento e maturidade para todos. Segundo o DJ, eles já sabiam que as cidades por onde passariam são cidades carentes, mas a realidade vista de perto o impactou: “Estamos acostumados com água limpa, pura, e ver que algumas das cidades nem possuem água potável, mas apenas uma água barrenta, me deixou chocado. Sabemos que isso existe, mas estar ali e ver a situação daquelas pessoas é algo bem mais forte. Espero que um dia todos possam ter acesso a água de qualidade, mas, acima de tudo, vimos o quanto as pessoas precisam da Água da Vida, que é Jesus. O bom é que temos grandes projetos para 2016, sempre acreditando que eles vão abençoar muita gente!”

A turnê #SantidadeMinhaBalada já esteve em vários estados como São Paulo, Goiás, Santa Catarina, Minas Gerais, Distrito Federal, Bahia e Amazonas, lugares onde o DJ ainda pretende retornar neste ano. Algo bem marcante no ministério de Lazaretti e que o deixa muito feliz é o fato de que, em tão pouco tempo do lançamento do CD “Santidade Minha Balada”, o público jovem já canta e marca presença nos eventos por onde ele passa.

Mesmo com uma agenda cheia, o “guri gaúcho” não se descuidou dos estudos. No final do ano de 2015, ele encerrou o 3° grau do ensino médio e diz que pretende fazer uma faculdade, pois “o conhecimento é um tesouro que ninguém pode nos tirar”, ele afirma sorrindo. Matheus conta que as obrigações com a escola lhe tomavam muito tempo, e que, agora, terminada essa etapa, está mais fácil conciliar a agenda ministerial com o seu dia a dia.

Sobre o cansaço de tantas viagens e apresentações, o DJ afirma que até mesmo esse cansaço traz um gostinho de dever cumprido, porque “é muito bom saber que estamos cansados porque fizemos o que deveria ser feito, é ou não é?”, ele diz e pergunta dando uma boa risada.

Matheus está sempre interessado em fazer algo que toque o coração das pessoas ao seu redor, principalmente, do público jovem. Assim, seus novos projetos para este ano estão a todo vapor: “Nossa Tour #SantidadeMinhaBalada 2016 está vindo com muitas novidades, muita interação audiovisual, novos projetos e remix das músicas do nosso ministério para apresentação live e muitos efeitos especiais. Para a galera da internet, preparamos novos videoclipes! Ah! Sem falar no livro ‘Santidade Minha Balada’, que está finalizado e será lançado em breve. Nele, compartilho muitas das minhas experiências como jovem e que, hoje, tenho a oportunidade de compartilhar com os jovens da minha geração! Entre os assuntos abordados, estão sexualidade e relacionamento, tratando daquelas dúvidas como “isso pode ou não pode”?  Aguardem!”

Gospel Plus

Bíblia Online com videos e fotografias mostra a conexão do povo judeu com a Terra de Israel

Uma Bíblia online exclusiva, centrada na conexão do povo judeu com a Terra de Israel, foi lançada na Internet. O projeto, chamado “The Israel Bible” (A Bíblia de Israel), foi iniciado por uma organização chamada Israel 365, com sede na cidade de Beit Shemesh, no centro de Israel. “Estamos certamente vivendo em tempos críticos, onde consolidar o apoio bíblico a Israel na comunidade cristã sionista é mais importante do que nunca neste momento”, disse o rabino Tuly Weisz, fundador e diretor da organização Israel 365, ao serviço de imprensa Tazpit (TPS). A organização utiliza videografia e fotografia para mostrar significado e atributos religiosos de Israel.

O projeto da Bíblia de Israel fornece aos leitores e assinantes uma série de recursos educacionais. Além dos comentários escritos por dez dos principais educadores e guias turísticos de Israel que explicam a conexão do povo judeu com a Terra de Israel, a Bíblia também vem equipada com mapas interativos do Google que mostram os vários locais de inúmeros eventos na Bíblia em toda a Terra de Israel.

Embora Israel tradicionalmente receba uma quantidade significativa de apoio da comunidade cristã evangélica, o rabino Weisz disse à TPS que proporcionar essa ferramenta educacional para os cristãos, bem como para judeus é de significativa importância à luz dos recentes acontecimentos. “A voz evangélica em Israel está sendo afastada para longe de nós pelo movimento BDS, que realmente está visando corroer o apoio evangélico a Israel”, salientou o rabino Weisz. “Esta Bíblia de Israel, que é dirigida aos evangélicos cristãos sionistas, pode ajudar os evangélicos a aumentar o conhecimento do que a Bíblia diz sobre Israel e a quem Israel pertence, bem como a fonte do direito do judeu à Terra de Israel”.

O BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções), movimento contra Israel, ao longo dos últimos anos tem tentado convencer os membros da comunidade cristã evangélica a adotar uma posição teológica anti-Israel. O rabino Weisz ressaltou que no início do mês de março “aconteceu o Christ at the Checkpoint (Cristo no posto de controle) em Belém, uma conferência evangélica anti-Israel e pró-BDS”. A conferência foi promovida pelo Bethlehem Bible College (Instituto Bíblico de Belém) e diversos palestinos e cristãos evangélicos de vários países foram convidados a fim de “desafiar os evangélicos a assumir a responsabilidade de ajudar a solucionar [o conflito entre Israel e Palestina]” e “criar uma plataforma para sério compromisso com cristãos sionistas e um fórum aberto para o diálogo em curso entre todas as posições dentro do espectro teológico evangélico”. “Não foi uma conferência católica. Foi uma conferência evangélica”, ressaltou o rabino Weisz. “Eles não gostam que os evangélicos são associados como pró-Israel e eles estão tentando fazer com que a comunidade evangélica questione a reivindicação judaica a Israel”, afirmou o rabino.

O rabino Weisz disse que a única maneira de conseguir que os evangélicos questionem a validade da reivindicação do povo judeu à Terra de Israel é acrescentando detalhes e perspectivas na Bíblia que não estavam lá antes. “A única maneira de conseguir que evangélicos questionem o direito do povo judeu à Terra de Israel é reescrevendo a Bíblia e fazendo com que leiam coisas na Bíblia que simplesmente não estão lá”, explicou o rabino Weisz. “Por exemplo, eles dizem que Deus rejeitou Israel e que ele tinha um pacto com Israel e, depois rejeitou o seu pacto e substituiu Israel”. “Eles afirmariam, desta forma, que não temos o direito à terra e que nós a estamos roubando dos ‘legítimos’ proprietários palestinos”, continuou o rabino Weisz.

A Bíblia de Israel já alcançou um marco de numerosos assinantes e leitores. “Temos cerca de 10 mil pessoas que assinaram para seus próprios planos personalizados de leitura, apenas nas últimas semanas desde que lançamos o site”, disse Weisz à TPS. A Bíblia também incentiva a divulgação de conteúdos informativos e educacionais nas redes sociais. “Nós incorporamos uma tecnologia inovadora que permite às pessoas obter pontos por comentar, fazer perguntas e compartilhar”, explicou o rabino Weisz.

O Rabi Weisz permanece muito esperançoso e otimista de que o projeto Bíblia de Israel tenha sucesso na divulgação de conhecimento e consciência na comunidade cristã evangélica, sobre a justa e legítima reivindicação de Israel à Terra de Israel. “Estamos esperançosos de que a Bíblia de Israel irá proporcionar às pessoas a munição educacional para aprimorar suas crenças e entender que Deus deu a Terra de Israel para os judeus eternamente, não revogou a Sua aliança, não quebrou Sua promessa e não substituiu o povo de Israel em qualquer ponto, nunca”.

Fonte: TPS / Texto: Jonathan Benedek / Tradução: Alessandra Franco / Foto: TheIsraelBible.com

Gospel Plus

“Depois da revolução agora chegou a hora de mudar tudo”

Em entrevista especial, Paulinho Makuko, vocalista do grupo de rock que revolucionou a música gospel nacional no final da década de 80, afirma que para essa gravação do novo DVD, a intenção é mostrar a nova fase da banda. Confira o bate-papo exclusivo com a banda Katsbarnea

1-Fale um pouco um pouco sobre a nova  formação do Kastabarnea:

Paulinho: Essa nova formação do Kats, é muito boa, estamos vivendo uma nova fase, estamos comprometidos para encarar os desafios. Nós fazemos tudo em conjunto, fazemos os arranjos, produzimos e escrevemos as letras. Depois de muitas formações, e muitas batalhas conseguimos montar um novo Katsbarnea com músicos mais jovens, mais atuais, juntando o que tenho de bagagem da minha geração, e agora com essa moçada nova. A música gospel mudou muito, o rock foi o começo dessa história, eu dou graças a Deus por estar sempre firme nesse grupo, nós estamos sempre buscando nos atualizar, compondo, ensaiando, e tocando.

2- O que podemos esperar desse novo DVD?

Paulinho: O publico pode esperar muito som, muito rock, nossas mensagens que são passadas através das músicas. O nome do DVD será “A Carne e o Sangue”, porque ele foi baseada em nossas experiências pessoais com Deus e na passagem bíblica de João 6: 55 a 56, ‘Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim, e eu, nele.’.

A nossa motivação para esse novo trabalho é total, porque esse é o nosso segundo DVD, o primeiro foi gravado no ano de 2009 em Salvador, o DVD, levou o nome de Katsbarnea – Ao Vivo, e agora, estamos muito motivados, vamos cantar os clássicos, como: Extra, Revolução. Vamos tocar músicas do CD atual como: Jeremias e I Can Fly, nosso sucesso em inglês, que está tocando bastante nas Rádios, e como não poderia faltar, uma música inédita, que foi feita exclusivamente para a gravação desses DVD.

O público também pode esperar um show animado, nós da banda estamos produzindo, ensaiando bastante para mostrar para o público a nossa transformação e maturidade musical.

3- Esse DVD celebra a nova fase do grupo?

Paulinho: Sim! Estamos celebrando a nova fase do Kastsbarnea, a nossa nova formação, e maturidade musical, e poder mostrar para o público através de um DVD seria incrível, principalmente por poder cantar para Jesus. Após a revolução, chegou a hora de mudar tudo.

4- Recentemente vocês lançaram um videoclipe do novo trabalho de vocês, que inclusive vai estar no DVD, fale um pouco sobre ele?

Paulinho: Esse novo videoclipe, mostra que precisamos ter um momento a sós com Deus, e que os locais onde temos nossos momentos de intimidade, aqueles locais que fazem parte de quem nós somos. Eu (Paulinho), por exemplo, estou no local da minha casa onde costumo compor minhas canções e ler a Bíblia, são momentos íntimos. Também tem a parte dos olhos vendados e de óculos escuros significa que estamos desapegados das questões materiais e daquilo que não acrescenta! Também mostra que estamos distantes da religiosidade. Só assim podemos ter momentos únicos e profundos com Deus. Queremos mostrar para as pessoas que Jesus não é apenas o refúgio para o nosso bem estar. Ele é a carne e o sangue!

Conheça a história do Katsbarnea:

https://www.youtube.com/watch?v=XjtZe6l77zE 

Serviço:

Gravação do DVD ”A Carne e Sangue” Katsbarnea
Data: 16 de abril
Horário: 20 horas
Local: Renascer Arena (Antigo Ginásio da Portuguesa)
Endereço: Altura do 3.700 da Avenida Marginal Tietê (Estacionamento na Rua Azurita, Portão 7)
http://www.katsbarnea.com.br
Ingressos: www.gospelbay.com.br