Gospel Plus

Imagem apedrejada por evangélico em Belém é restaurada

A imagem da Nossa Senhora de Nazaré, apedrejada um dia após a procissão do Círio, foi restaurada hoje e voltou à praça santuária da Basílica, em Belém (PA), o que provocou um aumento de 25% no número de visitantes.

Cerca de 50 mil pessoas passaram no local para cultuar a santa. O movimento normalmente não ultrapassa os 40 mil.

Segundo Flávio Américo, coordenador da 213ª edição do Círio –maior manifestação religiosa do país –, antes mesmo de a “imagem peregrina” ser recolocada, os fiéis já se revezavam para orar à frente de uma réplica de gesso, que também fora alvo de um ato de vandalismo em junho.

Segurança

Um forte esquema de segurança será colocado em prática ainda nesta semana. Ao menos dois seguranças armados, além dos dois guardas que já faziam a proteção da santa, ficarão responsáveis por não permitir que o incidente volte a se repetir.

Além disso, um fiel irá doar uma cúpula blindada de 2 mm de espessura para abrigar a imagem. Já foram tiradas as medidas e a encomenda do material foi feita em São Paulo.

A imagem da Nossa Senhora de Nazaré carregada na procissão do Círio foi atingida por duas pedras atiradas pelo segurança José Ubiratan Leite, 34 –que continua preso na capital.

O evangélico, da igreja Assembléia de Deus, foi autuado por dano ao patrimônio histórico e cultural, crime que pode dar de um a três anos de reclusão.

A polícia não soube informar se a família já constituiu advogado.

A imagem de madeira, de 48 cm e 3 kg, teve danos na coroa, que ficou amassada, e em sua base de sustentação, que teve um dos pinos avariados. Parte da pintura também foi afetada. Sua restauração foi realizada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

A santa, construída em 1969, na Itália, é uma réplica da original, datada de 1793, que está protegida no interior da Basílica de Nazaré, fora do alcance dos fiéis.