Jorginho vira técnico no América do Rio

Evangélico, Jorginho iniciou nesta terça, 25/10, a carreira de treinador do clube pelo qual deu os primeiros chutes com 13 anos de idade.

“A ansiedade bateu. Deu um certo friozinho na barriga. É gostoso estar de volta ao convívio do futebol”, declarou Jorginho, cercado por pessoas que fizeram sucesso dentro de campo. O ex-meia Ailton, com passagens de destaque por Grêmio, Flamengo e Fluminense, exerce a função de auxiliar, e o ex-goleiro Zé Carlos, também com passagem pela seleção, a de coordenador-técnico.

Jorginho pretende não misturar religião com futebol. Mas, logicamente, não abrirá mão da disciplina e da boa conduta. Em sua estréia, não distribuiu broncas nem falou palavrão durante o coletivo, realizado no Centro de Treinamento do Nova Iguaçu.

“Pretendo formar um grupo campeão. Aquele jogador que achar que não pode ser um vencedor no América não me servirá”, destacou Jorginho.

Fonte: Estadão

Flamengo apela para santo católico

Em situação desesperadora no Campeonato Brasileiro, o Flamengo resolveu apelar para São Judas Tadeu, que, segundo a igreja católica, é o santo padroeiro das causas impossíveis e também do clube carioca.

Alguns jogadores e o técnico Joel Santana foram rezar e pedir para fugir do rebaixamento.

Mantendo a tradição de muitos anos, 17 jogadores, dirigentes e membros da comissão técnica do Flamengo foram à igreja do Cosme Velho, zona sul do Rio, celebrar o dia de São Judas Tadeu. E levaram, inclusive, o uniforme da equipe para receber a bênção do arcebispo do Rio, o corintiano Dom Eusébio Scheidt.

Depois da missa, Joel Santana conversou rapidamente com o arcebispo do Rio. E saiu animado. Segundo o treinador, Dom Eusébio Scheidt, apesar de ser corintiano, garantiu que vai torcer para o Flamengo nesse momento difícil.

Atualmente, o Flamengo está em penúltimo lugar do Brasileiro, com 35 pontos. E volta a jogar na segunda-feira, contra o Coritiba, no Rio.

Fonte: Estadão

Fórum Universal das culturas apresenta esportes ligados a rituais

O Fórum Universal das Culturas, que será realizado em Barcelona (Espanha), contará com um programa de exibição de cerca de 40 esportes tradicionais e minoritários de todo o mundo. Desde a Coréia até o México, os países terão a oportunidade de modelar a diversidade cultural do planeta.

Estas modalidades esportivas, que geralmente começam ou concluem com um ritual ou uma dança baseada nas crenças religiosas e nos valores do respeito ao adversário e o jogo limpo, serão praticadas em um espaço situado debaixo do recinto do Fórum, com capacidade para 500 espectadores.

O programa será desenvolvido durante 20 semanas -com duas sessões semanais de uma hora e meia cada uma, geralmente aos sábados e domingos- e contará com o apoio de quinze monitores do Instituto Nacional de Educação Física da Catalunha (INEFC), que receberão uma treinamento especializado por parte dos praticantes destes esportes para dirigir as oficinas nas quais se cederá o protagonismo ao público.